© 2023 by Going Places. Proudly created with Wix.com

ASSINE A NEWSLETTER!

Bianca Manfrin, 21. Escritora de boteco. Ovolactovegetariana. Canceriana. Feminista. Ativista. Protetora animal. Gateira. Mãe do Floki, da Fiona e do Minerva. Amante de gastronomia e viagens.  Jornalista comprometida em mudar o mundo. Vamos juntos?

Fique por dentro de tudo que rola no blog. Receba notificações, avisos, dicas, leituras complementares e conteúdos exclusivos!

me acompanhe também nas redes sociais:

54225107_371972690318957_647329833112777

sobre o blog

Olá, curioso!

O mundo é realmente daqueles que tem curiosidade! Somos nós

que proporcionamos as mais admiráveis descobertas para a humanidade.

São os curiosos que transformam o mundo através de sua sede por

desbravar. Eu faço parte dessa parcela de curiosos espalhados pelo

mundo em busca de conhecer e dividir coisas novas. Esse é o objetivo

do blog: partilhar todas as minhas descobertas e também curiosidades com você. 

A ideia de um blog surgiu há muito tempo, quando a internet ainda era mato. Fazer um blog era um tiro no escuro. Eu gostava de escrever, mas não sabia sobre o quê. Naquela época, não havia escolhido ser jornalista ainda, já demonstrava amor pela escrita, fotografia, design, comunicação... Todavia, era adolescente, inexperiente, insegura. Tinha perfis em plataformas como o Tumblr, onde postava alguns textos de cunho mais sentimental. Cheguei a ter um blog com uma amiga virtual, que não durou muito. Fiz resenhas para o blog de leituras. Administrei páginas no Facebook com temáticas variadas.  

Escolhi o jornalismo como profissão. Comecei a graduação. Me aprimorei no âmbito da comunicação social. Escrevi para blog's da faculdade. Produzi conteúdo para muitas plataformas e empresas. Mas nada definitivamente autônomo, nada onde eu me encaixasse. Sempre tive a insegurança de produzir coisas do meu interesse, no entanto, estava mais que na hora de criar um site próprio e, também, criar conteúdos independentes. Fazer algo meu, com meus gostos, com minha cara. Aí nasceu o ruptura.

Nome: Por que "Ruptura"?

O nome do blog foi inspirado no terceiro capítulo do livro "Outros Jeitos de Usar a Boca", da escritora canadense, Rupi Kaur, cujo nome é "Ruptura". Ruptura significa rompimento, quebra, interrupção, transgressão.  Era o nome perfeito, para definir tudo que queria transmitir, ou melhor, romper. Percepções, pré-conceitos, paradigmas, crenças limitantes, achismos...

Um rompimento não significa necessariamente o fim de algo, mas sim, uma infinidade de recomeços, de desconstruções e re-construções. Romper todas às minhas certezas, convicções e comodismo era algo que queria compartilhar. Nossa vida é cheia de rompimentos, um erro é não falar sobre eles. Eles são a ponte para cruzar fronteiras, atravessar correntezas, conhecer caminhos e nos conhecer, nos encontrar, nos reconhecer, nos reconectar. Romper pode ser espinhoso, desafiador e lento, mas é necessário para a evolução humana. Assim como no livro da Rupi, primeiro a ruptura, depois a cura. 

LOGO: Por que tijolos?

A criação desse logotipo foi inspirada em cinco aspectos. Duas obras de arte, uma profissão, a simbologia da palavra "Ruptura" e a dualidade visual da logo.  Ambos os aspectos estão interligados de modo a compor essa identidade visual. 

A primeira obra é o álbum "The Wall" da banda britânica, Pink Floyd. Em específico a música "Anothear Brick in The Wall". 

Mas cuidado, a curiosidade pode ser uma arma letal.  Saiba como usar sua curiosidade para o bem. Há quem diga que a curiosidade mata.  Eu desejo que sua curiosidade mate a ignorância, a vaidade, os preconceitos, os medos, as irrelevâncias. Que a curiosidade te mate de prazer ao desvendar algo novo, ao desconstruir algo velho.

Eu espero que esse blog te ajude